Alimentação em Foco Menu
Frutas, verduras e legumes de junho

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Google+ Compartilhar com LinkedIn Compartilhar com Pinterest

Frutas, verduras e legumes de junho


Almeirão

O almeirão (Cichorium intybus L.), também conhecido como radique, almeirão-verdadeiro, chicória-amarga e radicchio, é um vegetal de sabor amargo, com folhas em formato de lanças (alongadas e estreitas recobertas por “pelos”) que podem ser verdes ou arroxeadas.. Rico em proteínas, fibras, cálcio, ferro, fósforo e vitamina A, além de vitaminas C e do complexo B, pode ser utilizado para o preparo de saladas cruas, refogados ou como acompanhamento para legumes, cereais ou carnes. As raízes do almeirão também podem ser utilizadas na cozinha de diferentes maneiras, como em saladas ou refogadas. Estudos apontam que os antioxidantes presentes no almeirão auxiliam na prevenção do câncer e de doenças cardiovasculares.

Batata doce

A batata doce (Iponomea batatas) é uma hortaliça tuberosa originária da América do Sul. Destaca-se por constituir uma rica fonte de carboidratos, fibras, minerais, vitaminas e antioxidantes como carotenoides, compostos fenólicos e antocianinas, que previnem o processo oxidativo. Pesquisas científicas atribuem aos carotenoides presentes na batata doce propriedades funcionais e atividade antioxidante, indicando o elevado potencial bioativo deste alimento no combate aos radicais livres no organismo, diminuindo assim o risco de doenças crônicas.

Brócolis

O brócolis (Brassica oleracea L. var. italica) é uma hortaliça da família Brassicaceae, a mesma família da couve, do repolho e da couve-flor. O brócolis é de origem europeia e pode ser utilizado para o preparo de saladas, em massas e em refogados vegetais. Rico em fibras, em nutrientes minerais como o potássio, cálcio e fósforo, e em vitamina C, esta hortaliça está sendo alvo de muitas pesquisas científicas que associam sua ingestão com a prevenção de alguns tipos de câncer, como os de pulmão, bexiga, colorretal, mama e próstata. Também é fonte de folatos, substâncias que previnem problemas de malformação congênita em recém-nascidos.

Cará

O cará (Discorea spp.), também conhecido por inhame, é um tubérculo de polpa branca, consumido mundialmente. Além de ser uma excelente fonte de energia, o inhame é rico em sais minerais como cálcio, ferro e fósforo, que desempenham papéis importantes no organismo. Em 100g de inhame cru, encontra-se 73g de água, 23,2g de carboidratos, 2,1g de proteínas e apenas 0,2g de gorduras. O amido deste tubérculo é muito semelhante ao do milho, sendo utilizado pelas indústrias de alimentos com a mesma finalidade. A polpa do inhame ainda pode ser utilizada para o preparo de purês, bolos, sopas, cuscuz e pães. Além disso, algumas espécies são utilizadas para fins medicinais, como a produção de esteroides e hormônios sintéticos.

Carambola

A carambola (Averrhoa carambola) é uma fruta originária da Índia e foi introduzida no Brasil no século XIX, podendo ser consumida in natura, em sucos, infusões, compotas e geleias. Possui um expressivo conteúdo de água, carboidratos, vitamina C, nutrientes minerais e antioxidantes. Pesquisas científicas apontam que pacientes com doenças renais crônicas não devem consumir este fruto, uma vez que a carambola possui ácido oxálico que não é metabolizado pela via renal destes indivíduos, o que pode ser fatal para esses pacientes.

Cupuaçu

O cupuaçu (Theobroma grandiflorum Willd. ex Spreng.) é um fruto nativo, muito cultivado e consumido na região Norte do Brasil. O fruto pode medir de 10 a 25 cm de comprimento e pesar até 1,5 kg. Seu uso é bastante versátil, podendo ser utilizado em diversas preparações culinárias, como geleias, doces, mousses e sucos. Em uma porção de 100 g .do fruto cru encontramos 331 mg de potássio – superior ao encontrado em algumas variedades de banana – e 24,5 mg de vitamina C. Geralmente é comercializado como polpa congelada, mas a grande inovação relacionada ao fruto é chamada “cupulate”, o chocolate produzido a partir do cupuaçu, que pertence ao mesmo gênero do cacau.

Espinafre

O espinafre (Spinacia oleracea ou Tetagronia tetragonides) é um vegetal folhoso de origem asiática. Uma porção de 100 g de espinafre é composta por 94 g de água, 2,1 g de fibras alimentares, 2,6 g de carboidratos, 2 g de proteínas e 0,2 g de gorduras. Além disso, também fornece: antioxidantes, vitaminas A, C e do complexo B, como o ácido fólico (Vitamina B9), composto que auxilia na formação do feto e no combate a anemia e doenças cardiovasculares. Embora o espinafre também apresente sais minerais como ferro, cálcio e magnésio, a presença de ácido oxálico no vegetal impede a absorção de parte dos nutrientes pelo organismo.

Morango

O morango (gênero Fragaria) é um fruto de origem europeia, cultivado ao redor de todo o globo. É possível encontrar mais de 10 espécies diferentes de morango no mercado, com características sensoriais específicas, podendo ser utilizados na preparação de diversos produtos, como sucos, sorvetes, bolos, tortas e geleias. É rico em diversas vitaminas, tais como a Vitamina C, A e E, além de apresentar 2,5 g de fibras alimentares em uma porção 100 g de morangos. Uma curiosidade é que o morango (parte vermelha, carnuda e suculenta) não é propriamente o fruto da planta, mas sim uma dilatação da base da flor que serve como sustentação para os frutos propriamente ditos, que são as pequenas sementes pretas dispostas em torno do morango.

Referências:

BACHIEGA, P. Atividade antiproliferativa “in vitro” em diferentes estádios de maturação do brócolis (Brassica oleracea L. var. itálica) biofortificados ou não com selênio. 78p. Dissertação (Mestrado em Ciências, área de concentração: Ciência e Tecnologia de Alimentos). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Piracicaba, Universidade de São Paulo, 2014. Publicação em versão eletrônica. Disponível em: < www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-11082014…/Patricia_Bachiega.pdf>. Acesso em 22/05/2016.

GONZALEZ VEGA, M. E. El Ñame (Dioscorea spp.). Características, usos y valor medicinal. Aspectos de importancia en el desarrollo de su cultivo. Cultrop, La Habana , v. 33, n. 4, p. 05-15, dez. 2012 . Disponível em: <http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0258-59362012000400001&lng=en&nrm=iso>. Acesso em : 26 maio 2016.

HENZ GP. 2010. Desafios enfrentados por agricultores familiares na produção de morango no Distrito Federal. Horticultura Brasileira 28: 260-265. Disponivel em: <http://www.scielo.br/pdf/hb/v28n3/v28n3a03.pdf>. Acesso em 27/05/2016.

KINUPP, V.F.; LORENZI, H. Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. 1. ed. São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2014. 768p

OLIVEIRA, E.M.S.; AGUIAR, A.S. Por que a ingestão de carambola é proibida para pacientes com doença renal crônica?. Jornal Brasileiro de Nefrologia, v.37, n.2, pp. 241-247,2015

PEDRALLI, G.; CARMO, C.A.S.; CEREDA, M.; PUIATTI, M.. Uso de nomes populares para as espécies de Araceae e Dioscoreaceae no Brasil. Hortic. Bras., Brasília , v. 20, n. 4, p. 530-532, dez. 2002 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-05362002000400002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 26 maio 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362002000400002.

PEREIRA, G.M. QUALIDADE DE RADICHE (Cichorium intybus L.) EMBALADO E ARMAZENADO SOB ATMOSFERA MODIFICADA. 2010. 79 f. TCC (Graduação) – Curso de Engenharia de Alimentos, Instituto de Ciências e Tecnologia de Alimentos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10183/28412>. Acesso em: 24 maio 2016.

PESTANA, C.M. D. Efeitos do processamento sobre a disponibilidade de carotenóides, fenólicos totais e atividade antioxidante em quatro cultivares de batata doce (Ipomoea batatas L.) biofortificados. 2011. 88 f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos). Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”. Piracicaba, Universidade de São Paulo, 2011.

PRATO, R. Almeirão – Cichorium intybus. Jardineiro.net Disponível em: <http://www.jardineiro.net/plantas/almeirao-cichorium-intybus.html> . Acesso em: 20 maio 2016.

RIGO, N. Qual é o nome do inhame? 2013. Disponível em: <http://paladar.estadao.com.br/noticias/comida,qual-e-o-nome-do-inhame,10000009704>. Acesso em: 26 maio 2016.

ROCHA, R.S.R.. Procedimentos e avaliação química de parâmetros de interesse nutricional de espinafre comercializado na Bahia. 71p. Dissertação (Mestrado em Ciências naturais). Universidade Federal da Bahia. Salvador, Bahia, 2002. Publicação em versão eletrônica. Disponível em: < https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/10014/1/Silvia%20Rocha.pdf >. Acesso em 26/05/2016.

SIQUEIRA, M.V.B.M. Yam: a neglected and underutilized crop in Brazil. Hortic. Bras., Brasília , v. 29, n. 1, p. 16-20, Mar. 2011 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-05362011000100003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 26 maio de 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362011000100003.

TABELA BRASILEIRA DE COMPOSIÇÃO CENTESIMAL (TACO). 4ª Edição revisada e ampliada (2007). Documento em versão eletrônica. Disponível em: <http://www.unicamp.br/nepa/taco/contar/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf?arquivo=taco_4_versao_ampliada_e_revisada.pdf>. Acesso em 11/05/2016.

YANG, D.; XIE, H.; JIA, X.; WEI, X. Flavonoid C-glycosides from star fruit and their antioxidant activity. Journal of Functional Foods, v 16, pp. 204-210, 2014.

ZAMBIAZI, R.C; CHIM, H.F; BRUSCATTO, M. Avaliação das características e estabilidade de geléias light de morango. Alim. Nutr., Araraquara, v. 17, n.2, p.165,170., abr./jun.2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/hb/v28n3/v28n3a03.pdf>. Acesso em 27/05/2016.




O que você procura?





fechar

Obrigado!


Seu cadastro foi realizado com sucesso.



fechar
Loading