Alimentação em Foco Menu
Comer fora ou levar marmita?

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Google+ Compartilhar com LinkedIn Compartilhar com Pinterest

Comer fora ou levar marmita?


Atualmente, o desafio é de alimentar-se bem e de forma segura, pois podemos expor o nosso organismo a uma série de doenças, como a intoxicação alimentar, transmitidas pela falta de higiene e pela manipulação e transporte inadequado dos alimentos.

Mas, quais são os cuidados mais importantes ao comer fora de casa? Confira!

Restaurantes:

Ao comer em restaurante, observe detalhes do ambiente que indicarão se o local se baseia nas boas práticas da alimentação com os devidos cuidados adotados. De acordo com Sandra Ferreira, especialista em Nutrição do Serviço Social da Indústria (SESI), quando se fala em qualidade e confiabilidade, no conceito técnico, consideraram-se alguns itens:

  • Temperatura: verifique visualmente se o réchaud (espécie de fogareiro de metal usado para manter a comida quente) está ligado. Se o buffet for em balcão de banho maria, observe se há fumaça de vapor saindo dos alimentos e se o balcão térmico está aquecido ou gelado – com o apoio de gelo, no caso de alimentos frios, como carnes cruas, saladas e comida japonesa.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os alimentos perecíveis devem ser refrigerados, preferencialmente abaixo de 5°, e os cozidos quentes acima de 60°, por no máximo seis horas.

  • Características sensoriais dos alimentos: observe se os legumes estão com cores vivas e com textura firme, isso indica que eles participaram do branqueamento (processo de choque térmico para conservação) e estão em boas condições para consumo. Em saladas, visualize se não há nenhum tipo de resíduo, isso identifica que foram higienizadas corretamente.

Com as carnes, evite as com sangue a mostra, pois isso indica que ela não conseguiu atingir a temperatura ideal de cocção; dê preferência a carnes grelhadas e bem passadas. No feijão, verifique se não há uma nata em cima, isso identifica que não foi feita a troca no horário certo de reposição.

  • Condições gerais de higiene: os funcionários estão com uniformes de cores claras e limpos? “Este é um sinal aparente de que a troca do vestuário está sendo realizada diariamente. Aspectos como unhas cortadas, cabelo preso e sapato fechado, também são sinais que indicam que o estabelecimento possui boas condições de limpeza”, afirma a especialista. Além disso, o ambiente precisa ser limpo e a sua temperatura agradável.

 

Fazer marmita:

Levar marmita ao trabalho também requer alguns cuidados para deixar os alimentos longe de contaminação por bactérias e fungos. Gabriela Romano, nutricionista da L’energie, empresa especializada em alimentação e refeições coletivas, dá algumas dicas sobre os cuidados na preparação e transporte das famosas “quentinhas”.

  • Bolsas térmicas: durante o trajeto da casa para o trabalho, o ideal é que o alimento seja condicionado em bolsa térmica para manter a temperatura de manutenção. Desta forma, evitamos que sofram alterações de cor, sabor, textura ou que estraguem. É importante que a marmita seja posta na geladeira ao chegar ao trabalho.
  • Preparo: o ideal é que o alimento seja feito no dia anterior ao consumo. “Por exemplo, se você for comer no almoço, prepare a marmita no último período da noite. O ideal é que a comida esfrie na geladeira e a montagem aconteça pela manhã, antes de sair para o trabalho”, conta Gabriela Romano.
  • Escolha dos alimentos: evite alimentos que estragam facilmente e favorecem a contaminação, como creme de leite, ovo, maionese e carnes mal cozidas. Alimentos acebolados também devem ser evitados, pois a cebola solta um caldo que pode azedar a marmita.

Marmita Saudável:

Para que sua marmita fique mais nutritiva é importante que tenha uma porção de cada grupo alimentar. Além das fibras e vitaminas presentes na salada, é importante consumir carboidratos e proteínas.

Se for levar batata, por exemplo, não acrescente arroz nem macarrão, complete com uma carne vermelha ou frango. E lembre-se de trocar os carboidratos simples pelos integrais, que, além de saudáveis, auxiliam na saciedade.

    • Alimentos frescos (frutas e verduras): frutas e verduras são ótimas opções de marmita. Dê preferência a alimentos que não soltam água e são mais fáceis de transportar, como cenoura e batata. As folhas da marmita devem estar bem higienizadas e secas em um recipiente com tampa e separadas do alimento quente. O tempero para a salada deve ser levado à parte e utilizado apenas na hora de consumir.Já as frutas, pela praticidade, podem ser transportadas já picadas, em um recipiente com tampa, pois no corte não há grande alteração e perca de nutrientes.
    • Higienização do recipiente: assim que terminar a refeição, lave bem a marmita. O recipiente precisa ser higienizado antes e depois de receber os alimentos. O ideal é que a esterilização seja feita em água fervente, em fogo alto, por 15 minutos.

 

Quer saber mais dos cuidados alimentares na hora de fazer a marmita?
Veja também como armazenar alimentos na geladeira antes de preparar!




O que você procura?





fechar

Obrigado!


Seu cadastro foi realizado com sucesso.



fechar
Loading