Alimentação em Foco Menu
Drones na agricultura: como funcionam?

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Google+ Compartilhar com LinkedIn Compartilhar com Pinterest

Drones na agricultura: como funcionam?


O uso de drones na agricultura está contribuindo para a melhor produtividade do campo

Desde que se tem conhecimento, a tecnologia contribui para o avanço da nossa sociedade. Facilitando o cotidiano, aperfeiçoando tarefas e auxiliando na resolução de problemas.

Especialmente nas últimas décadas, instrumentos inovadores, frutos do desenvolvimento tecnológico alcançado pela sociedade, vêm mudando a maneira do homem trabalhar em diversos setores da economia.

E, no setor agrícola, não é diferente. Entenda o impacto dos drones na agricultura.

Por que a agricultura precisa da tecnologia?

O homem começou a plantar há cerca de 12 mil anos e de lá pra cá, a agricultura já se reinventou muitas vezes.

Diversos avanços são constantemente utilizados na agricultura, a fim de trazer ganhos de produtividade, facilitar a gestão e diminuir os custos.

As inovações tecnológicas aplicados à agricultura permitem maior confiabilidade da plantação, monitoramento do campo e gestão de todos os recursos utilizados.

Tecnologia de precisão

Nos últimos anos vem se disseminando no setor agrícola a chamada tecnologia de precisão que está associada a utilização de aparelhagens de tecnologia avançada a fim de auxiliar, acompanhar e avaliar de maneira mais precisa as atividades agronômicas.

Dentro deste cenário de inovação tecnológica, uma ferramenta já conhecida em outros setores vem ganhando espaço na agricultura: os drones.

O que são drones?

Os drones são veículos aéreos não tripulados (VANTs) controlados remotamente, ou seja, pequenas aeronaves sem tripulação que podem carregar câmeras de alta resolução e diversos tipos de sensores, permitindo, assim, muitas aplicações.

Inicialmente, os drones eram utilizados em missões militares a fim de inspecionar o território inimigo, sem a necessidade de colocar em risco as vidas de soldados e tripulantes.

Nos últimos anos, esse instrumento tecnológico ganhou espaço na indústria do entretenimento, sendo utilizado na captação de imagens aéreas para eventos, programas de tv, filmes publicitários, entre outros.

Os drones na agricultura

Na agricultura, esta tecnologia vem sendo aplicada para otimizar alguns processos e aumentar a produtividade dos agricultores.

Os VANTs possuem a capacidade de produzir imagens de altíssima qualidade que são utilizadas para a análise dos mais diversos aspectos de uma plantação, por meio de programas de computador.

A tecnologia permite o acompanhamento de toda extensão da plantação e até mesmo obter informações como, por exemplo, a capacidade de retenção de água no solo ou detectar doenças de uma planta há mais de 200 metros de distância.

Listamos a seguir algumas das possíveis utilizações dos drones na agricultura:

  • Demarcação de área de plantio;
  • Contagem das plantas;
  • Medição da altura da plantação;
  • Estimativas de produtividade;
  • Monitoramento da necessidade de água e insumos;
  • Medição da eficácia de tratamentos e do uso de pesticidas;
  • Detecção de secas e de pragas;
  • Localização de pragas;
  • Aplicação e pulverização de pesticidas;
  • Detecção de focos de incêndio;
  • Mapeamento agrícola;
  • Mapeamento hídrico.

Os drones vêm ganhando cada vez mais espaço entre os agricultores.

Mas, atenção, o uso de drones na agricultura precisa seguir um conjunto de regras a fim de garantir a segurança de todos.

As regras variam de acordo com a categoria do drone operado.

Existem três categorias de drones no Brasil:

  • Classe 1: drones com peso máximo de decolagem maior que 150 kg;
  • Classe 2: drones com peso máximo de decolagem entre 25 e 150 kg;
  • Classe 3: drones com peso máximo de decolagem de até 25 kg.

Quem controla o voo dos drones no Brasil é a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), junto da Anatel (Agência nacional de telecomunicações) e o DECEA (Departamento de controle do espaço aéreo).

A ANAC exige o registro de todas as aeronaves ou drones de uso recreativo ou não. Para o registro é necessário fornecer os dados pessoais de quem vai operar os drones, e também os dados da aeronave (nome, modelo, fabricante, número de série e foto).

Os drones na agricultura representam, de fato, um grande salto tecnológico de precisão sofrido no setor nos últimos anos.

Com o uso desta ferramenta os agricultores estão conseguindo aumentar a sua produtividade, de forma segura, acessível e sem prejudicar o meio ambiente.




O que você procura?





fechar

Obrigado!


Seu cadastro foi realizado com sucesso.



fechar
Loading