Alimentação em Foco Menu
Legumes, verduras e frutas de novembro

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Google+ Compartilhar com LinkedIn Compartilhar com Pinterest

Legumes, verduras e frutas de novembro


Prezar pelos alimentos naturais disponíveis na sua região é uma forma de comer mais saudável

Frutas, verduras e legumes são a base da alimentação humana, pois eles estão repletos de
nutrientes responsáveis pelo bom funcionamento do corpo. Ao utilizar as opções sazonais, é
possível garantir refeições acessíveis, disponíveis localmente com variedade e mais qualidade
para a sua vida. Vamos ver as frutas de Novembro?

Coco verde

 

Fácil de ser encontrado em todo o litoral brasileiro, o coco possui uma camada externa grossa
e fibrosa e, internamente, a polpa e a água, muito apreciada e presente em maior quantidade
do que no coco seco.
A água de coco é doce, levemente adstringente e possui propriedades hidratantes e isotônicas,
permitindo que as células do corpo humano reponham líquido e sais minerais rapidamente. O
consumo acontece majoritariamente nas praias e por atletas, devido à perda de fluidos
ocasionada pelo suor.
A polpa de coco verde também é benéfica. Ela apresenta gorduras boas, fibras e cálcio, que
ajudam a manter a sensação de saciedade por mais tempo, regulam o funcionamento
intestinal e fortalecem os ossos do corpo.

Graviola


Mais popular nas regiões Norte e Nordeste do país, essa fruta, da mesma família da fruta-do-
conde, possui espinhos em sua parte externa, e, dentro, uma polpa branca, aromática, de
sabor suave e com um toque ácido.
Ela pode ser consumida in natura – basta cortá-la e retirar a polpa – ou como base para a
preparação de sucos, sorvetes, geleias e mousses. As folhas da fruta são aproveitadas para
infusões.
A graviola é rica em vitaminas A, do complexo B e C, além de conter cálcio, ferro, magnésio,
potássio e fósforo.

Jaca


Essa fruta, proveniente da jaqueira, é cheia de peculiaridades: é grande, pesada, espinhosa e
tem cheiro característico que pode ser sentido de longe. Entretanto, ela é doce e saborosa, e
tem se popularizado para além da Amazônia e do litoral brasileiro.
A polpa da jaca pode ser consumida in natura, em sucos, geleias, compotas e até mesmo para
acrescentar sabor a bebidas alcoólicas. Essa parte também é aproveitada para substituir a
carne em dietas vegetarianas, pois, se cozida, seu gosto é suavizado e ela adquire uma textura
similar à proteína animal. As sementes da jaca, quando assadas, servem de aperitivo e,
trituradas, como farinha.
Entre os nutrientes, a jaca é dotada de fibras, cálcio, fósforo, ferro e vitaminas do complexo B,
além de antioxidantes. Por isso, ela é capaz de ser fonte de energia, prevenir o risco de
doenças cardiovasculares e anemias, além de combater o envelhecimento precoce.

Lichia

As lichias, polpas translúcidas que lembram as uvas, com sabor doce e um toque ácido,
revestidas por uma casca rosada e espinhosa, são encontradas nessa época do ano entre o
Sudeste e o Sul do país, devido ao clima nublado e chuvoso, que favorece o cultivo.
Considerada uma fruta exótica no Brasil, ela é consumida principalmente in natura.

Porém, também pode servir de base para sucos e doces cristalizados, uso que não é muito comum

devido ao seu tamanho reduzido e sazonalidade. Da casca, pode ser feito um chá antioxidante.
A lichia apresenta baixo teor calórico, ideal para dietas de emagrecimento, é uma aliada do
sistema imunológico porque é rica em vitamina C e, ainda, hidrata o corpo devido a suas doses
de potássio.
Ela deve ser evitada em grande quantidade por pessoas que têm baixo nível de glicose no
corpo ou que estão em jejum, pois possui hipoglicina, substância que altera o metabolismo da
glicose e faz com que os níveis decaiam.

Abobrinha italiana


Refogada, assada, recheada, frita ou empanada, em todo o país existem diversas formas de se
preparar essa hortaliça de sabor e textura leves. A versão italiana possui casca entre o
esbranquiçado e esverdeado, com interior que varia entre o amarelo e o branco, além de
sementes que também podem ser consumidas.
A abobrinha é de fácil digestão e uma de suas principais propriedades é a oferta de potássio,
mineral que ajuda a evitar cãibras. Entre as vitaminas, as do complexo B e C são as que mais
se destacam, auxiliando os sistemas imunológico, neurológico e circulatório. Sua casca é uma
fonte excelente de fibras.

Moranga


De cor laranja viva e formato arredondado, a moranga é um tipo de abóbora que tem a polpa
mais macia e o sabor mais delicado, sendo ideal para o preparo de refogados ou ensopados,
como o camarão na moranga, iguaria popular no Nordeste do país.
A abóbora pode ser aproveitada integralmente. A polpa pode servir de base para os pratos mais tradicionais, enquanto a casca pode ser acrescentada em sopas e saladas.

As sementes, ainda, podem ser consumidas cruas, cozidas, fritas ou torradas.

Todas as suas partes contêm diversos nutrientes essenciais. Os carotenoides, pigmentos
responsáveis pela sua coloração, são potentes antioxidantes. Ela ainda contém vitaminas B1,
B3 e A, que fornecem energia, ajudam a amenizar cansaço e fadiga e previnem doenças
neurológicas. Por ser rica em fibras, tem efeito diurético e controla a glicemia.

Couve-de-bruxelas


Pouco consumida no Brasil, a couve-de-bruxelas é nutritiva e surpreende devido a sua textura
e seu formato peculiar, da mesma família do repolho.
A couve-de-bruxelas possui sais minerais, como fósforo e ferro, e também o manganês,
antioxidante e associado ao funcionamento de diversas enzimas. Ela contém vitaminas A e C,
necessárias para a visão, pele e imunidade, além de fibras de celulose que facilitam o
funcionamento do intestino.

O vegetal tem, ainda, um composto químico chamado sulforafano, capaz de prevenir
doenças. Ele também é responsável pelo odor desagradável que a couve-de-bruxelas exala ao
ser cozida demais, quando utilizada como acompanhamento de carnes ou para dar sabor a
sopas.

Dill


O dill ou endro é um condimento de folhas delicadas, mas com aroma e sabor marcantes,
semelhante ao anis. Suas folhas e sementes são muito apreciadas na culinária para o preparo
de peixes oleosos, como salmão e arenque e carnes nobres, como vitela. Também podem
enriquecer sopas, queijos e saladas.
A erva é rica em fibras, vitamina C, sais minerais e princípios ativos. Essa combinação
proporciona ações anti-inflamatórias, estimulantes e principalmente digestivas, sendo ideal para
aliviar cólicas estomacais e intestinais, sintomas da gastrite e refluxo.

Para aperfeiçoamento da sua reeducação alimentar, pratique o aprendizado fazendo novos pratos com as frutas da estação.

Os legumes, verduras e frutas de Novembro irão trazer mais cor para a sua rotina, aproveite!




O que você procura?





fechar

Obrigado!


Seu cadastro foi realizado com sucesso.



fechar
Loading