Alimentação em Foco Menu
Frutas, verduras e legumes de agosto

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Google+ Compartilhar com LinkedIn Compartilhar com Pinterest

Frutas, verduras e legumes de agosto


Alface

A alface (Lactuca sativa) constitui uma das hortaliças folhosas mais populares dentre as consumidas atualmente, podendo ser classificada em alface: de folhas crespas, de folha lisa, roxa, americana, dentre outras. Seu consumo é feito in natura e nestas condições, a alface apresenta elevados teores de vitaminas e sais minerais, além de se tratar de uma hortaliça com baixo valor calórico, o que a caracteriza como excelente opção na dieta alimentar de pessoas em tratamento da obesidade e de doenças crônico- degenerativas.

Beterraba

A Beterraba (Beta vulgaris L.) tem sido utilizada como alimento por todas as populações da bacia do Mediterrâneo desde 1000 a.C. A variedade branca é utilizada como matéria-prima para a produção de sacarose no hemisfério norte. Já a variedade roxa, mais comum no Brasil, é mundialmente consumida em saladas, sopas, sucos e vitaminados. As folhas são ricas em cálcio e vitaminas A e C, e por isso seu consumo também é recomendado. Já o tubérculo possui é uma excelente fonte de glutamina, um aminoácido muito importante para a manutenção da saúde e do bom funcionamento do trato gastrointestinal. Na hora das compras, atentar para que a beterraba esteja em bom estado: firme e com coloração vibrante.

Caju

O caju (Anacardium occidentale L.) é um fruto brasileiro, típico da região nordeste do País e composto por um pedúnculo (pseudofruto) e pela castanha (fruto verdadeiro). O pedúculo possui polpa suculenta e adocicada, utilizada para a produção de sucos ou doces, principalmente. Quando in natura, é fonte de vitamina C, minerais (cálcio, fósforo e ferro), carotenoides (vitamina A) e compostos fenólicos que atuam como antioxidantes. Já a castanha, representa cerca de 10% do peso do fruto e apresenta o maior valor agregado dentro da cadeia produtiva do caju, sendo comercializada principalmente na forma torrada.

Mandioquinha

A mandioquinha-salsa (Arracacia xanthorrhiza) é uma raiz tuberosa altamente energética pela grande quantidade de carboidratos presentes em sua composição, sendo também rica em fibras, vitamina A, vitamina B3, cálcio, fósforo e ferro. De origem sul-americana (alto da cadeia dos Andes) seu consumo tipicamente dá-se na forma cozida pura, de purês ou de sopas. Entretanto, outras formas de preparo são particularmente saborosas como: fritas fatiadas em lâminas, suflês, nhoques, cozida com carne, em pães doces ou salgados.

Melancia

A melancia (Citrullus lanatus), originada do continente Africano e pertencente à família das cucurbitáceas, é cultivada em quase todas as regiões do mundo, sendo uma das mais importantes olerícolas produzidas e comercializadas no Brasil. A fruta possui sabor adocicado e grande parte de sua composição é constituída por água (cerca de 90 %), apresentando baixo conteúdo calórico e uma composição vitamínica na qual se destacam as vitaminas A, C, B1 e B2.

Além disso, a melancia possui características medicinais devido a sua função diurética, auxiliando no tratamento de problemas urinários, intestinais e respiratórios. Apesar de seu consumo se dar predominantemente in natura, a polpa, a casca e as sementes podem ser utilizadas no preparo de sucos e chá. O suco da polpa de melancia ajuda na eliminação do ácido úrico; já o chá das sementes secas e trituradas auxilia no tratamento da pressão alta.

Rúcula

A rúcula (Eruca sativa) é uma hortaliça folhosa da família das Brássicas. Originária de regiões mediterrâneas e da Ásia Ocidental, também é conhecida pela denominação mostarda-persa. É uma hortaliça que pode ser consumida crua ou refogada, sendo rica em água, em sais minerais – como cálcio e potássio – e possui importante concentração de vitamina C. Além disto, as folhas apresentam alta concentração de compostos fenólicos – que possuem ação antioxidante – e glicosinolatos, compostos que atuam na proteção contra o câncer. O óleo extraído das sementes de rúcula vem sendo muito estudado atualmente, por possuir compostos antimicrobianos e antibacterianos com grande potencial em aplicação industrial.

Salsa

A salsa (Petroselinum crispum (Mill.) Nym), também conhecida por salsinha, é um vegetal herbáceo de origem mediterrânea. Amplamente cultivada em todo o mundo, a salsa é umas das ervas aromáticas e condimentos mais importantes da gastronomia, podendo ser utilizada em diversas preparações gastronômicas, como: molhos, caldos, marinadas e finalização de pratos. A salsinha possui vitaminas A e C, minerais como cálcio e potássio e compostos fenólicos que possuem ação antioxidante. Além disso, a salsinha possui outras ações benéficas ao organismo, como ação diurética, antisséptica e anti-inflamatória.

Sapoti

O sapoti (Manilkara zapota) é um fruto originário do México e da América Central que pode ser encontrado quase em todo o território brasileiro, principalmente nas regiões Norte e Nordeste, onde as condições ambientais favorecem seu crescimento e desenvolvimento. Antigamente era comum o cultivo do sapotizeiro para extração do látex, mas atualmente a árvore é cultivada para produção dos frutos, geralmente consumidos in natura. A polpa, de sabor adocicado e suave, tem coloração amarelo alaranjada intensa, o que indica teores consideráveis de carotenoides. O estado de Pernambuco destaca-se como maior produtor nacional deste fruto e o Instituto Agronômico do referido estado possui a maior coleção de sapotizeiros de nosso país.

REFERÊNCIAS

AZEVEDO, B. M. et al. Efeitos de níveis de irrigação na cultura da melancia. Revista Ciência Agronômica, v. 36, n. 1, p.9-15, 2005.

CAVAIUOLO, M.; FERRANTE, A. Nitrates and glucosinolates as strong determinants of the nutritional quality in rocket leafy salads. Nutrients, v.6, 1519-1538, 2014.

  1. FILHO, E. et al. Processo de produção de melancia: Aumento da produtividade no agronegócio. In:__ Simpósio de Engenharia de Produção, 2014, Bauru. Marília:

UNIVEM, 2014. p. 14 – 25. Disponível em: <http://aberto.univem.edu.br/>. Acesso em: 29/07/2016.

EMBRAPA CLIMA SEMIÁRIDO. Sistemas de Produção, 6 ISSN 1807-0027 Versão Eletrônica Agosto/2010. Acesso em: 29/07/2016.

EMBRAPA INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA. A cultura da melancia. 2. ed. Brasília, DF: Embrapa, 2007. 85 p.

EMBRAPA. Mandioquinha salsa: Apresentação. Disponível em: <https://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Mandioquinha/MandioquinhaSalsa/apresentacao.html>. Acesso em: 30/07/2016

FARZAEI, M. H. et al. Parsley: a review of ethnopharmacology, phytochemistry and biological activities. Journal of Traditional Chinese Medicine, v. 33., n. 6., pp. 815-826, 2013.

FISHER, R. The health benefits of… beetroot. Disponível em <rhttp://www.bbcgoodfood.com/howto/guide/ingredient-focus-beetroot>. Acesso em: 30/07/2016

MORAES, F.P. Polpa desidratada de caju amarelo (Anacardium occidentale L.) por atomização em spray dryes: caracterização físico-química, bioativa e estudo da vida de prateleira do produto. Dissertação apresentada para obtenção do título de Mestra em Engenharia Química. Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, 140p. 2014.

NINFALI, P.; ANGELINO, D. Nutritional and functional potential of Beta vulgaris cicla and rubra. Fitoterapia, v. 89, p. 188-199, 2013.

OHSE, S. et al. Composição centesimal e teores de vitamina c, cálcio e fósforo de seis cultivares de alface produzidas sob dois sistemas de cultivo. Insula: Revista de Botânica, n. 30, p.47-62, 2001.

OLIVEIRA, J. B. et al. Rendimento e qualidade de frutos de melancia em diferentes épocas de plantio. Revista Caatinga, v. 28, n. 2, p.19-25, 2015.

MOURA, R.J.M.; BEZERRA, J.E.F.; JÚNIOR, J.F.S.; LEDERMAN, I.E. Sapoti. Disponível em: <http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/territorio_mata_sul_pernambucana/arvore/CONT000gtq6c11e02wx7ha087apz24wkllak.html>. Acesso em: 30 jul. 2016.




O que você procura?





fechar

Obrigado!


Seu cadastro foi realizado com sucesso.



fechar
Loading