Alimentação em Foco Menu
Frutas, verduras e legumes do mês de Setembro

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Google+ Compartilhar com LinkedIn Compartilhar com Pinterest

Frutas, verduras e legumes do mês de Setembro


Conheça os principais alimentos da temporada

Acerola

A acerola (Malpighia punicifolia L.) é originária da América Tropical e teve seu cultivo impulsionado a partir de 1946, quando foi descoberto seu alto conteúdo de vitamina C. A fruta possui grande capacidade de aproveitamento industrial, e por isso atrai o interesse de fruticultores de diversas regiões do Brasil.

No mercado, há vários produtos alimentícios de acerola, mas as formas mais comuns de sua comercialização são a fruta in natura, polpa congelada e sucos engarrafados. Além da vitamina C, a acerola também é rica em carotenóides, tiamina, riboflavina, e niacina.

Banana Prata

Banana PrataA banana (Musa spp.) é uma das frutas mais consumidas no mundo, sendo cultivada de Norte a Sul do Brasil e em outros países tropicais.

Consiste em um importante alimento, pois contém diversas vitaminas, como A, B e C, além de minerais como cálcio, potássio e ferro.

Devido ao seu elevado teor de potássio, o consumo da banana é muitas vezes associado ao alívio de câimbras, no entanto, estudos afirmam que o surgimento de câimbras está relacionado à deficiência de vários minerais e não apenas do potássio, indicando a necessidade de uma alimentação balanceada para a prevenção deste problema.

Caju

O caju (Anacardium occidentale L.) é um fruto brasileiro, típico da região nordeste do País e composto por um pedúnculo (pseudofruto) e pela castanha (fruto verdadeiro). O pedúculo possui polpa suculenta e adocicada, utilizada para a produção de sucos ou doces, principalmente.

Quando in natura, é fonte de vitamina C, minerais (cálcio, fósforo e ferro), carotenoides (vitamina A) e compostos fenólicos que atuam como antioxidantes. Já a castanha, representa cerca de 10% do peso do fruto e apresenta o maior valor agregado dentro da cadeia produtiva do caju, sendo comercializada principalmente na forma torrada.

Couve-flor

Couve-florA couve-flor (Brassica oleracea) é uma hortaliça cultivada e consumida em diversas partes do mundo. É composta de flores brancas recobertas por folhas longas, podendo ser consumida cozida, em saladas, sopas, cremes, refogados, gratinados, entre outras preparações.

Em 100g de couve-flor cozida, encontra-se aproximadamente 94 g de água, 4 g de carboidratos, 3 g de fibras, 1 g de proteínas e apenas 0,3 g de lipídios, o que contribui para o seu baixo teor calórico de apenas 19 Kcal. Além disso, apresenta capacidade antioxidante devido à presença de compostos bioativos em sua composição.

Maça Fuji

A maçã (Malus domestica Borkh) é uma das culturas que mais recebe investimento em tecnologia no país. Além de seu amplo consumo in natura, também é usada para produzir diversos produtos como doces, geleias, compotas, bebidas, vinagre e principalmente sucos.

Seu consumo regular é excelente para manter a taxa de colesterol em níveis aceitáveis devido ao alto teor de pectina encontrada na casca. Além disso, estudos mostram que a maçã contém as vitaminas B1, B2 e B3 , além de minerais como fósforo e ferro.

Mexerica

MexericaA mexerica (Citrus reticulata) é uma fruta cítrica de origem Asiática pertencente à família das Rutáceas, que possui grande adaptabilidade a condições de cultivo. As mexericas constituem o segundo grupo de frutas cítricas mais importantes na citricultura mundial. Os frutos são de tamanho médio, coloração alaranjada intensa e sabor predominantemente adocicado.

Apresenta pequena diversidade em São Paulo, reunindo apenas quatro variedades comerciais: tangerinas Poncã e Cravo, tangor Murcote e mexerica do Rio. A mexerica é rica em vitamina C e pode dar origem a produtos como sucos, pectina ou destinada a ração animal. Alguns estudos ainda reportam seu óleo essencial como potente anti-fúngico.

Rabanete

O rabanete (Raphanus sativus) é uma raiz globular, originário da região mediterrânea, caracterizado pela coloração escarlate-brilhante e polpa branca. Recomenda-se o consumo cru, com a casca, a fim de preservar seus nutrientes, como as fibras alimentares, o potássio, a vitamina C e o beta caroteno.

O perfil da produção de rabanete no Estado de São Paulo é composto por pequenos produtores, que detêm 73,68% da produção e arrecadam 83,43% do total. Médios e grandes produtores ficam com 24,71% e 1,61% da produção e arrecadam 15,14% e 1,44% respectivamente.

Tamarindo

TamarindoEmbora seu valor comercial ainda seja pouco explorado no Brasil, o tamarindo (Tamarindus indica L.) é um fruto bastante valorizado no mercado asiático, podendo ser utilizado no preparo de doces, sorvetes e bebidas. 100 g de polpa apresenta aproximadamente 22 g de água, 72 g de carboidratos, 6,4 g de fibras – que auxiliam no bom funcionamento do intestino -, 3 g de proteínas e apenas 0,5 g de gorduras.

Além disso, é rico em antioxidantes como o ácido tartárico e o ácido ascórbico (vitamina C).

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BORGES, A. L.; MATOS, A, P. Banana: Instruções Práticas de Cultivo. 2006. Disponível em: <http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/632717/1/documento161.pdf>. Acesso em: 26 ago. 2017.

CHUTIA, M.; DEKA BHUYAN, P.; PATHAK, M.G.; SARMA, T.C.; BORUAH, P. Antifungal activity and chemical composition of Citrus reticulata Blanco essential oil against

phytopathogens from North East India. LWT – Food Science and Technology, v. 42, n. 3, p.777–780, 2009.

EMBRAPA. Coleção Plantar: A cultura da acerola. 3. ed. rev. ampl. Brasília: EMBRAPA, 2012. 144 p.

FERREIRA, Christoforo Jorge; ZAMBON, Fernanda R. A.. Análises de Preços do Rabanete (Raphanus sativus), no Estado de São Paulo. 2003. Disponível em: <http://www.abhorticultura.com.br/biblioteca/arquivos/Download/Biblioteca/44_425.pdf>. Acesso em: 28 ago. 2017.

FRANÇA, G. F. T. Cãibras Musculares Associadas ao Exercício e Nutrição: Mitos e Factos. 2010. 42 f. Tese (Doutorado), Universidade do Porto, Porto, 2010. Disponível em: <https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/54470/3/138140_1016TCD16.pdf>. Acesso em: 28 ago. 2017.

MANCHALI, S.; MURTHY, K.N.C.; PATIL, B.S. Crucial facts about health benefits of popular cruciferous vegetables. Journal of Functional Foods, v 4, n 1, p. 94–106, 2012.

MORAES, F.P. Polpa desidratada de caju amarelo (Anacardium occidentale L.) por atomização em spray dryes: caracterização físico-química, bioativa e estudo da vida de prateleira do produto. Dissertação (Mestrado) – Engenharia Química. Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, 140p. 2014.

NOGUEIRA, R. J. M. C. et al. Efeito do estádio de maturação dos frutos nas características físico-químicas de acerola. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 37, n. 4, p. 463-470, 2002.

PIO, Rose Mary. A qualidade e as exigências do mercado de tangerinas. Revista Brasileira de Fruticultura, São Paulo, v. 25, n. 3, p.375-558.

SANTOS, M. A. T. Caracterização química das folhas de brócolis e couve-flor (Brassica oleracea L.) para utilização na alimentação humana. 2000. 96 f. Dissertação (Mestrado) – Ciência dos Alimentos, UFLA, Lavras, 2000.

SIQUEIRA, L. A. Tamarindo: (Tamarindus indica L.). In: MELO, Alberto Soares de et al (Ed.). Frutíferas Potenciais para os tabuleiros costeiros e baixadas litorâneas. Aracaju: Embrapa Tabuleiros costeiros/empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe-Emdagro, 2002. Cap. 9. p. 197-216.

TABELA BRASILEIRA DE COMPOSIÇÃO CENTESIMAL DE ALIMENTOS (TACO). NEPA – UNICAMP. 4. ed. rev. e ampl. Campinas: NEPA- UNICAMP, 2011. 161 p.

YAMASHITA, F. et al. Produtos de acerola: estudo da estabilidade de vitamina C. Food Science and Technology (Campinas), p. 92-94, 2003.




O que você procura?





fechar

Obrigado!


Seu cadastro foi realizado com sucesso.



fechar
Loading