Alimentação em Foco Menu
Mudas em viveiro: como produzir?

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Google+ Compartilhar com LinkedIn Compartilhar com Pinterest

Mudas em viveiro: como produzir?


Saiba as etapas para a implementação eficiente de mudas em viveiro

Um viveiro de mudas são áreas destinadas a desenvolver sementes até que estejam prontas para serem replantadas. Esta atividade pode ser empregada no comércio de mudas ou explorada em benefício próprio.

De qualquer maneira, para que as mudas em viveiro apresentem bons resultados, recomendamos seguir alguns passos:

Planejamento

O primeiro passo é definir qual o objetivo do viveiro. Ou seja, em qual segmento pretende-se atuar. Alguns exemplos podem ser:

  • Horta caseira;
  • Produção de plantas ornamentais para comercialização;
  • Criação de mudas frutíferas;
  • Processo de reflorestamento.

Definindo o objetivo, fica mais fácil escolher o tipo de viveiro necessário.

Os viveiros se dividem entre:

  • Permanentes: para produzir mudas por muitos anos;
  • Temporários: com o intuito de cultivar as mudas até se alcançar uma determinada meta;
  • De espera: tem a função de aclimatar as plantas nas proximidades dos viveiros permanentes.

Este estudo é importante para a definição das espécies de mudas em viveiro que serão cultivadas. Bem como sua altura ideal, quantidade de mudas, qualidade das sementes, embalagens a serem utilizadas entre outros detalhes.

Ao final do planejamento é possível saber o sistema de produção que será empregado e o seu custo.

Localização

A segunda etapa é a escolha do local. A localização é muito importante para o bom funcionamento do viveiro e deve ser próxima às áreas em que as mudas serão replantadas ou comercializadas.

As condições climáticas da área, como incidência solar e ausência de ventos fortes, também devem ser avaliadas levando em consideração as exigências das espécies a serem cultivadas.

O solo deve ter boa drenagem, estar livre de plantas daninhas e não ter inclinação acima de 3%.

Além disso, é essencial ter acesso a abundante fonte de água para usar na irrigação das plantas.

Infraestrutura e equipamentos

As estruturas mínimas que compõem um viveiro de mudas são a casa de sombras e as áreas de pleno sol.

A primeira é destinada para a fase inicial da produção e geralmente é coberta por telas ou sombrites.

Já as áreas de pleno sol, são utilizadas para o desenvolvimento das plantas, seu crescimento e adaptação, antes de serem expedidas.

Além disso, é preciso destinar um galpão para armazenamento dos insumos, como sementes, adubos, substratos, reservatório de água, ferramentas e demais itens.

O viveiro também deve estar equipado com ferramentas como tesoura de poda, pás, enxadas, equipamentos para irrigação, misturadores de substratos, pulverizadores, bandejas, tubetes, vasos e embalagens.

Mão de obra

O número de pessoas necessárias para as rotinas do viveiro depende do sistema de produção, tamanho do viveiro e espécies cultivadas, no entanto, é importante contar sempre com mão de obra qualificada.

Treinamentos constantes, aprimoramento de técnicas, preparo de novos profissionais e reuniões administrativas são peças fundamentais para se manter uma boa equipe de trabalho.

Com todas as etapas cumpridas, é hora de germinar as sementes e colocar em prática a produção das mudas.

Muitos desafios acompanham essa atividade que também é bastante prazerosa.

O acompanhamento de um engenheiro agrônomo é essencial para o sucesso do viveiro.

Separamos a seguir duas dicas para vencer empecilhos que podem surgir durante os cuidados das mudas em viveiro. Confira!

Sementes que não germinam

A dormência das sementes é um fenômeno comum no meio vegetal. Trata-se de um mecanismo no qual, as sementes mesmo detendo todas as condições genéticas e climáticas necessárias, não germinam, prejudicando assim a produção.

Existem alguns métodos para “quebrar a dormência” das sementes e fazê-las germinar mais rápido. Um deles é o choque térmico que consiste em mergulhar de 3 a 5 minutos as sementes em água com temperatura de 60 a 80 graus célsius e em seguida mergulhá-las em água fria por cerca de 2 minutos.

Crescimento de plantas invasoras

Plantas invasoras ou daninhas são todas aquelas que germinam espontaneamente onde não são desejadas, interferindo no desenvolvimento das mudas.

Uma medida preventiva para evitar a propagação das plantas daninhas, é impedir a introdução de suas sementes nos viveiros. Para isso, recomenda-se a limpeza frequente dos equipamentos utilizados, desinfecção dos recipientes e o uso de quebra-vento ao redor da área de produção.

Para saber mais sobre mudas em viveiro, acesse a matéria viveiro de plantas.




O que você procura?





fechar

Obrigado!


Seu cadastro foi realizado com sucesso.



fechar
Loading